sexta-feira, 7 de outubro de 2011

ALMA GÊMEA: Certo ou Errado ?


Essa expressão é bem nova, e em resumo abrange a ideia de que existe
uma pessoa certa e determinada para cada ser humano.

É uma crença muito abraçada pelos jovens, principalmente. Mas com a popularização (e a facilidade) do divórcio, mesmo pessoas maduras e idosas tem se separado do(a) companheiro(a) de toda uma vida para uma busca (ou caçada) por essa “alma gêmea” que os completará e os fará “felizes para sempre” (tão tão distante...)

Para piorar, no meio evangélico se multiplicam a cada dia as “profecias casamenteiras”, que geralmente causam relacionamentos instáveis. Claro que Deus pode usar um de seus profetas para revelar o futuro, mas será que Ele não tem nada melhor para dizer a nós do que isso ?

O primeiro problema com essa ideia é que ela traz implícita a crença no FATALISMO, num DESTINO cego e inexorável. Mas o cristão não tem destino, sua vida está nas mãos de Deus, ele vive dentro do propósito de Deus e é guiado pelo Espírito Santo (Rm 8.14).

A Bíblia demonstra que a graça e o favor de Deus é que guiam a escolha de um bom esposo ou uma boa esposa, e não o destino.

Mas o pior ainda está por vir: junto com a crença na existência da alma gêmea, vem a reboque a ideia de que, para encontrá-la, pode demorar várias vidas. Ou ainda, que perdida a alma gêmea nesta vida (doença, acidentes, desencontros, etc), haverá uma outra chance numa vida futura. Em resumo: REENCARNAÇÃO, outra heresia anti-bíblica (não confunda com RESSURREIÇÃO, que é bíblico). Aliás, a rede Globo já usou esse enredo (almas gêmeas apaixonadas, atravessando os séculos em busca uma da outra, ao som do Fábio Júnior...) em várias de suas novelas e minisséries.

A Bíblia conta de várias pessoas que se casaram, mas nenhuma delas estava em busca da alma gêmea, e sim de alguém que estivesse ao seu lado dividindo as dores e multiplicando as alegrias. Quando Abraão mandou buscar uma esposa para o filho Isaque por meio de seu criado Eliézer, este OROU A DEUS e foi atendido com o encontro da jovem Rebeca. Jacó, neto de Abraão, não buscava uma alma gêmea, mas uma esposa, e encontrou Raquel. Resumindo: nenhum personagem da Bíblia procurava almas gêmeas, mas sim esposas e esposos, e quando colocaram suas necessidades nas mãos de Deus, foram atendidos em suas preces.

Portanto, a crença na “alma gêmea” é anti-bíblica e fatalística, sendo “mais um modismo esotérico”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ALEGRE NOSSO CORAÇÃO: COMENTE !!!